Aloysio Nunes defende busca e apreensão no apartamento de Gleisi

Senador Aloysio Nunes Foto:Gerdan Wesley
24 jun 2016

Da Agência Estado:

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), líder do governo Temer na Casa, defendeu nesta sexta-feira, 24, a decisão do juiz de primeira instância Paulo Bueno de Azevedo, de autorizar a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo e a realização de busca e apreensão no apartamento funcional de sua esposa, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR). “Não vejo violação de competência do Supremo porque a imunidade é da senadora, ela que tem prerrogativa de foro. A imunidade não se comunica ao marido nem ao local em que eles vivem”, afirmou Nunes em entrevista à reportagem.

A posição vai de encontro a de outros senadores, da oposição e até da base do governo Temer, para criticar o que consideraram excessos da operação Custo Brasil, deflagrada nesta quinta-feira, 23. O Senado chegou a protocolar uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o juiz de primeira instância.

Nunes contrariou até mesmo a avaliação do líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), que havia classificado como “abuso” o fato de um juiz de primeiro grau ter autorizado busca e apreensão no apartamento funcional de uma senadora. “Só quem poderia autorizar essa ação é o Supremo”, disse ontem o líder partidário.

Aloysio Nunes destacou ter lido a decisão do juiz e observado que ele foi “muito cuidadoso”, deixando claro que os mandados deveriam se circunscrever a documentos e objetos de Paulo Bernardo. “Na minha opinião não houve abuso, mas a questão está no Supremo e, evidentemente, cabe à Corte a palavra final.”

Compartilhar

Anna Ruth
Anna Ruth

Anna Ruth Dantas é jornalista, apresentadora do programa RN Acontece, da Band Natal; produz e apresenta o programa Jornal da Cidade, da Rádio Cidade (94 FM - Natal), e apresenta o programa Panorama do RN (em rede com 16 emissoras de rádio do Rio Grande do Norte). Jornalista de grande credibilidade, atua também como consultora e ministra cursos de midia trainning na Trilhar Educação Corporativa.

Deixe uma resposta