Dirigentes do PSB querem adiamento de fusão com o PPS, diz revista

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
01 jun 2015

Dirigentes do PSB devem divulgar, nos próximos dias, manifesto pedindo o adiamento da fusão do partido com o PPS. De acordo com o portal da revista Época, pelo menos 12 presidentes de diretórios estaduais e os governadores da Paraíba, Ricardo Coutinho, e de Pernambuco, Paulo Câmara, devem assinar o documento.

O temor dos socialistas é, segundo a revista, reside em um “um elevado risco de descaracterização das bandeiras históricas do PSB” identificado pelos descontentes. Entre as alegações, estão a de que a fusão serviria ao propósito do vice-governador de São Paulo, Márcio França, de aliar o partido ao PSDB na disputa pela sucessão de Geraldo Alckimin (PSDB). Parte da cúpula do partido resiste.

O ex-presidente da legenda, Roberto Amaral – que renunciou ao posto após os socialistas decidirem apoiar Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da disputa do ano passado -, já vinha fazendo críticas semelhantes. Ele afirma que a fusão tem a intenção de fortalecer Alckimin na disputa interna dos tucanos pela sucessão de Dilma Rousseff (PT). O governador de São Paulo é um dos nomes cotados para a corrida pelo Palácio do Planalto.

No Ceará, entretanto, socialistas já anunciam a data para a fusão: 20 de junho. “Isso nos fortalece, inclusive aqui no Ceará”, declarou a ex-deputada estadual Eliane Novais, que integra a direção nacional do partido. Ela destaca que a fusão pode garantir ao partido uma das maiores bancadas da Câmara dos Deputados. Ela afirma que o PPS é um partido que soma.

Compartilhar

progerencial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *