Funcionários dos Correiros entram em greve geral a partir de hoje

Funcionários dos Correiros entram em greve geral a partir de hoje
12 Mar 2018

Trabalhadores dos Correios decidiram entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir da meia-noite deste domingo para segunda. A categoria contesta, por exemplo, a não realização de concursos públicos desde 2011, para a reposição de postos de trabalho perdidos, e a “insistência” por parte da empresa para que funcionários aceitem ingressar em planos de demissão voluntária, que ganharam ênfase nos últimos anos, segundo a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares).

É esperada a adesão dos 36 sindicatos filiados, em todos os Estados, “contra a retirada de direitos dos trabalhadores, as demissões e a privatização dos Correios”.

“Não há nenhum impedimento para a realização de um novo concurso, provocando a queda na qualidade dos serviços da estatal”, disse a federação, por meio de sua assessoria de imprensa.

Questionada pela reportagem, por telefone e por email, nos últimos dias 7, 8 e 9, a assessoria dos Correios não respondeu às perguntas sobre a realização de concurso público, a reposição de funcionários nem a possibilidade de a empresa ser privatizada. Apenas se pronunciou sobre o anúncio de greve.

“A empresa entende que é um direito do trabalhador. No entanto, um movimento dessa natureza, neste momento, serve apenas para agravar ainda mais a situação delicada pela qual passam os Correios e afeta não apenas a empresa, mas também os próprios empregados”, afirmou, por meio de sua assessoria.

Corte de 20 mil funcionários em 5 anos

Uma redução de quase 20 mil funcionários foi conduzida pelos Correios (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) nos últimos cinco anos. O quadro caiu de 125,4 mil empregados em 2013 para os atuais 106 mil –ou um corte de 15,5%.

A força de trabalho está sendo adequada, diz a companhia, com investimento em “automação da triagem e em inovações tecnológicas para melhorar os processos internos e aumentar a qualidade dos serviços prestados”. Segundo a empresa afirma, a maioria dos desligamentos foi provocada pela adesão de funcionários ao Programa de Demissão Incentivada.

Para os sindicatos que representam os funcionários da empresa, o corte de pessoal é uma tentativa de “sucateamento”, com o objetivo de manchar a imagem dos serviços prestados e levar a estatal a um processo de privatização.

share

Anna Ruth
Anna Ruth

Anna Ruth Dantas é jornalista, apresentadora do programa RN Acontece, da Band Natal; produz e apresenta o programa Jornal da Cidade, da Rádio Cidade (94 FM - Natal), e apresenta o programa Panorama do RN (em rede com 16 emissoras de rádio do Rio Grande do Norte). Jornalista de grande credibilidade, atua também como consultora e ministra cursos de midia trainning na Trilhar Educação Corporativa.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *