Governo troca Moro por projetos na área econômica

Governo troca Moro por projetos na área econômica
12 Ago 2019

A economia escanteou o ministro da Justiça, Sérgio Moro. O presidente Jair Bolsonaro até tenta blindá-lo, mas não convence. Na sexta-feira, fez afagos, mantendo-o ao lado em declarações à imprensa e em uma cerimônia militar, e desconversou sobre a declaração dada na quinta-feira, de que daria uma “segurada” no pacote anticrime.

No entanto, ficou nítido que os gestos não sustentam o fortalecimento de Moro no sábado, quando o governo afirmou que enviará ao Congresso nas próximas semanas uma proposta de capitalização na Previdência.A leitura que especialistas e parlamentares começam a fazer é de que a pressão por melhores resultados de geração de emprego e renda está obrigando o governo a postergar a agenda de segurança pública.

O que surpreende é a naturalidade como isso está sendo conduzido. Quando a gestão se constituiu, o ministro era uma das peças chaves e, de certa forma, emprestou sua credibilidade ao então governo em formação pelo papel que exerceu enquanto juiz que condenou, em primeira instância, figurões da política presos na Operação Lava-Jato nos processos de Curitiba.

Agora, com a imagem carimbada pelas reportagens do The Intercept, que levantam suspeitas sobre a suspeição e imparcialidade de decisões tomadas nos processos da Lava-Jato, o jogo inverteu. É Bolsonaro quem está emprestando o capital de credibilidade a Moro, analisa o cientista político Geraldo Tadeu, professor e coordenador do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas sobre a Democracia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).É aí que a atividade econômica entra como um impulsionador no clima de escanteamento de Moro. “Mais do que nunca, Bolsonaro sente que precisa da economia para gerar efeitos positivos para ele, e coloca a agenda do (Paulo) Guedes (ministro da Economia) em evidência. O presidente se sente forte politicamente para não necessariamente dispensar a figura do ministro, mas para colocá-lo em um patamar abaixo, à condição de um mero auxiliar, não mais como uma superestrela do governo”, analisa Tadeu. “Vai caber a Moro aceitar essa condição ou não. Agora, ele literalmente está na mão do Bolsonaro”, acrescenta.

share

Anna Ruth
Anna Ruth

Anna Ruth Dantas é jornalista, apresentadora do programa RN Acontece, da Band Natal; produz e apresenta o programa Jornal da Cidade, da Rádio Cidade (94 FM - Natal), e apresenta o programa Panorama do RN (em rede com 16 emissoras de rádio do Rio Grande do Norte). Jornalista de grande credibilidade, atua também como consultora e ministra cursos de midia trainning na Trilhar Educação Corporativa.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *